Caligrafia e Lettering | Entrevista com Bruna Zanella

Bruna Zanella, é graphic design, ilustradora, letrista, virginiana e mora atualmente em Madri na Espanha. Nessa entrevista ela vai contar sobre a carreira e desafios da área do desing e lettering.

Bruna Zanella, Graphic Design, Illustration, Calligraphy, Lettering, Branding
Bruna Zanella, Graphic Design, Illustration, Calligraphy, Lettering, Branding

ZM: Em outra entrevista você contou que já trabalhou em uma agência de publicidade e propaganda na Espanha. Já teve experiência com essa área no Brasil também?

@brunazanella: Já trabalhei em duas agências aqui, mas no Brasil não. Isso porque minha formação inicial é em Arquitetura e Urbanismo, então trabalhei nessa área até 1 ano e meio depois de me formar e vir a Madri. Aqui me especializei em design gráfico.

ZM: Quais os grandes desafios que o profissional de design enfrenta? Você vê diferenças da Espanha para o Brasil?

@brunazanella: Conquistar seu espaço no mercado e, a nível mais pessoal, manter a criatividade. Não é a mesma coisa trabalhar para uma empresa ou no próprio negócio (que é o meu caso), assim como é muito diferente o mercado de Madri, de Brasília e até de São Paulo. De qualquer forma, as fronteiras são cada vez mais sutis, o que nos permite estar cada vez mais próximos, mesmo do outro lado do mundo.

ZM: Em que momento você percebeu que a sua grande paixão era o lettering e caligrafia?

@brunazanella: Desde pequena gosto de escrever e desenhar palavras, mas nunca pensei que isso realmente poderia ser uma saída profissional. Mesmo estando em alta agora, dentro da comunicação e do desenho gráfico sempre teve um papel muito importante. Estudando o tema e conhecendo calígrafos e letristas, me identifiquei e percebi que poderia transformar aquela paixão antiga em um trabalho.

ZM: Na caligrafia e lettering, quem são os grandes letristas que te inspiram?

@brunazanella: Admiro muito o espanhol Ivan Castro, professor do primeiro curso que fiz. Martina Flor, que esteve recentemente no Brasil, e a maravilhosa Jessica Hische, são grandes referências. Tive o prazer de fazer um workshop da Gemma O’Brien, que sempre me inspirou. Alex Trochut, Luca Barcellona, Oriol Miró, Lauren Hom, Stefan Kunz e é claro o quarteto brasileiro de Criatipos. A lista é grande, poderia continuar hehe.

ZM: Você vende as suas tipografias? Se sim, em quais sites?

@brunazanella: Não vendo, mas criar uma tipografia e fonte está na minha “to do list”! Espero não demorar muito para concretizar esse plano!

ZM: Quem cria lettering também tem aquelas 5 tipografias preferidas da vida? Alguns amam lobster, outros bebas… E você? Também tem uma tipografia “pretinho básico”?

@brunazanella: Antes de calígrafa e letrista sou designer gráfica e tenho verdadeira paixão por tipografia. Diria que minha tipografia preferida é a Futura, desenhada por Paul Renner.

Art on instagram @brunazanella
Art on instagram @brunazanella

ZM: Vi em um dos seus quadrinhos, um desenho da marca Nutella, que lembra um pouco o quadro do Andy Warhol, Campbell’s Soup, o primeiro a ligar arte e marcas. Quais são seus artistas preferidos e que te inspiram?

@brunazanella: Adorei a comparação! Cresci fascinada pelos quadros de Van Gogh e Monet. Logo Pollock ganhou meu coração e a Pop Art me apresentou Roy Lichtenstein e Andy Warhol, que são pura inspiração.

ZM: Em relação as suas experiências em universidades no Brasil e na Espanha, o que você mudaria ou acrescentaria na sua grade curricular dos cursos?

@brunazanella: No Brasil estudei Arquitetura e Urbanismo e aqui Total Design no IED Madrid, que é um curso de Design Gráfico, de Produto, Moda e Interiores. Não poderia fazer uma comparação muito precisa, apenas que nos dois tive disciplinas de História da Arte, extremamente importante nos dois cursos!

ZM: Na criação de uma arte, como você escolhe as cores? Você se inspira na pallete de filmes? Em outros artistas? A sua paleta de cores vem antes ou durante a criação?

@brunazanella: Cada vez mais me inspiro em paletas de cores de filmes. Recentemente vi “Animais Noturnos” e fiquei encantada com a fotografia. Quando se incorpora a visão da moda, no caso de Tom Ford, os resultados são espetaculares. As vezes vejo uma cena de filme, foto, obra de algum artista e aquela paleta automaticamente me inspira para alguma peça. Em outras ocasiões tenho muito claro a forma e as ideias das cores vão surgindo do longo do processo.

Art by Bruna Zanella
Art by Bruna Zanella

ZM: Na hora de criar uma identidade corporativa, uma marca, como você se inspira?

@brunazanella: A criação de identidade corporativa é muito particular, porque cada caso é único. Há muita investigação sobre a marca, seu contexto, valores que deseja transmitir. A identidade deve contar a história da empresa e por isso é necessário conhecer a ela, seus clientes e o mercado. A partir de um diagnóstico minucioso começa a investigação de referências e que farão parte da inspiração.

ZM: O que você acha que não funciona mais em relação a logotipo? E o que já se tornou “cafona”? Será que o futuro dos logotipos vai continuar sendo o chapado e minimalista?

@brunazanella: Como dizia Massimo Vignelli “We like design to be visually powerful, intellectually elegant, and above all timeless”. Mais que um logotipo, acredito que o mais importante é a identidade visual como um todo. É um pouco complicado falar em tendência e cafona, já que atualmente a tendência New Ugly é exatamente o que poderíamos considerar cafona. Isso seria tema para uma entrevista completa haha. De qualquer forma, compartilho a visão de Vignelli!

Lettering by Bruna Zanella.

ZM: Tem regra na hora de misturar tipografias?

@brunazanella: A combinação de tipografias requer uma análise cuidadosa das características de cada uma. Existem recomendações básicas por questões técnicas que permitem harmonia, equilíbrio e principalmente legibilidade dos textos.

ZM: Quais são seus projetos e planos futuros?

@brunazanella: 2017 foi um ano de crescimento profissional muito importante para mim. Bruna Zanella como empresa cresceu e ganhou novos clientes, além de começar a realização de workshops de caligrafia e lettering. Meu plano agora é trabalhar para ampliar o alcance dos workshops, já que muitas pessoas tem pedido para dá-los em Madri e São Paulo (atualmente só faço em Brasília) e continuar crescendo como studio de design especializado em caligrafia, lettering, ilustração e branding.

ZM: O que você diria para você mesma de 2027?

@brunazanella: Espero estar orgulhosa e poder dizer “Obrigada por ter seguido seus sonhos. Continue fazendo o que amas, o melhor ainda está por vir”.

ZM: Conte um pensamento ou frase que é importante para você…

@brunazanella: “Forever is composed of nows” – Emily Dickinson, que transborda amor.

Você se apaixonou pelo trabalho da Bruna Zanella também? Acompanhe ela:

Instagram |  Site | Facebook

Siga a ZM nas redes sociais:

Instagram | Twitter | Youtube | Facebook 

 

Nós amamos Bruna Zanella.

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s